quarta-feira, 9 de novembro de 2016

4) CONFIAR E HONRAR O SENHOR

                    A próxima lição (Provérbios 3:1-10) gira em torno de aprender a confiar e honrar o Senhor nos assuntos práticos de nossas vidas. Ao filho é dito, primeiro, para não retroceder daquilo que ele já aprendeu até agora. “FILHO meu, não te esqueças da minha lei (meu ensino – ARA), e o teu coração guarde os meus mandamentos. Porque eles aumentarão os teus dias, e te acrescentarão anos de vida e paz. Não te desamparem a benignidade e a fidelidade: ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração. E acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e dos homens.”(vv.1-4). É importante que caminhemos no que já temos aprendido e não nos permitamos retroceder (Filipenses 3:16). O Senhor nos dará mais luz para o caminho a medida que andamos nele.

                    O filho é exortado: "Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento (inteligência – JND),.Reconhece-o em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas." (vs.5-6). A confiança no Senhor vem da obediência. Se alguém estiver aplicando a verdade que tem aprendido nas lições anteriores, vai acreditar que pode confiar no Senhor nas questões da vida. Quanto melhor O conhecemos, mais confiamos nEle. O significado da palavra "confiança" tem a ideia de confidente (JND). Confiar no Senhor é uma das quatro coisas que Salomão diz que são necessárias para uma vida feliz. Eles são:

o    Confiar no Senhor – "o que confia no Senhor, este é feliz" (Provérbios 16:20 - ARA)
o    Obter sabedoria e compreensão – "Feliz o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento.... É árvore de vida para os que a alcançam, e felizes são todos os que a retêm" (Provérbios 3:13-18 - ARA).
o    Obediência aos princípios da Palavra – "o que guarda a lei, esse é feliz" (Provérbios 29:18).
o    Ajudando os outros – "aquele que se compadece dos pobres, esse é feliz" (Provérbios 14:21).

                    O oposto de confiar no Senhor é confiar em nós mesmos, que é a autoconfiança. Apoiarmos no nosso "próprio entendimento" é um perigo real. O jovem, portanto, é exortado: "Não sejas sábio a teus próprios olhos: teme ao Senhor e aparta-te do mal. Isto será remédio para o teu umbigo, e medula para os teus ossos" (vs 7-8). Nós somos avisados ​​mais adiante no livro que o tolo confia em seu próprio coração (Provérbios 28:26). Devemos acrescentar à confiança no Senhor, a honra ao Senhor em nossas vidas. "Honra ao Senhor com a tua fazenda, e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão os teus celeiros abundantemente, e trasbordarão de mosto os teus lagares" (vs.9-10). Tudo o que temos pertence a Ele, mas somos testados quanto à realidade quando o Senhor permite que um pouco dos bens deste mundo venham a nossas mãos. Vamos usá-los para Ele ou para nós mesmos? É nosso privilégio escolher um modesto padrão de vida para nós mesmos e colocar tudo em prol do testemunho do Senhor. Deste modo honramos o Senhor com a nossa renda. Isso se refere a dar ao Senhor o Seu devido direito em nossas vidas. Isso tem a ver com a nossa administração de Suas posses, porque "do Senhor é a Terra e a sua plenitude" (Sl 24:1). Não devemos pensar que apenas um adulto deva dar ao Senhor o devido direito. É algo precioso ver um jovem confiando no Senhor e colocando-O em primeiro lugar em sua vida.

                    Ao Israelita que desse ao Senhor o que Lhe era devido, era prometido um retorno maior do que o que ele teria dado. Enquanto as bênçãos do Cristão são espirituais e celestiais, acreditamos que o Senhor não é devedor do homem – Seu povo nunca dará a Ele mais do que Ele dá a Seu povo. Se damos o que temos aos interesses do Senhor, Ele não nos deixará sofrer por isso. H. A. Ironside observou: "Muitos santos seguem em relativa pobreza por causa de sua indiferença ao princípio aqui estabelecido".


5) APROVEITAR DAS DISCIPLINAS DO SENHOR

                    O filho é instruído em seguida quanto ao propósito de Deus em disciplinar Seus filhos. "Filho meu, não rejeites a correção do Senhor, nem te enojes (canses - JND) da Sua repreensão. Porque o Senhor repreende (castiga – JND) aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem" (Provérbios 3:11-12). Simplificando, Deus está treinando Seu povo para ser mais parecido com Seu Filho em seu caráter e caminhos. Uma vez que há muitas coisas em cada um de nós (atitudes, etc.) que não são como o Senhor Jesus, Deus usará as pressões da vida - as provações, tristezas e dificuldades, etc., para trabalhar essas coisas em nós.

                    Todo aquele que está na família de Deus experimenta estas disciplinas do Senhor. É um assunto de família com o nosso Deus. Eliú acertadamente disse: "Quem ensina como Ele?" (Jó 36:22). Hebreus 12: 9 diz que Ele é "o Pai dos espíritos [humanos]", no sentido de que Ele está treinando nossos espíritos em Sua escola. O Senhor nunca gosta de causar dor a ninguém, mas Ele sabe que às vezes é necessária para a formação de nosso caráter. "Porque não aflige nem entristece de bom grado aos filhos dos homens" (Lam 3:33). Podemos ter certeza de que Ele só vai permitir que coisas em nossa vida que são para o nosso melhor bem. Ele quer atingir uma coisa - a formação de nossos espíritos e a moldagem de nosso caráter à imagem de Seu Filho (Romanos 8:29).

                    O filho é instruído a receber tudo o que acontece em sua vida como algo que o Senhor tem a lhe dizer. Ele é advertido de uma tendência comum com muitos de nós - reagir erroneamente às coisas que Deus permite em nossas vidas. Em primeiro lugar, ele não deve "rejeitar" isso (Provérbios 3:11), que seria desconsiderar ou se rebelar contra as provações que entram em nossas vidas. Uma pessoa pode expressar um rosto atrevido e encolher os ombros, não reconhecendo a mão do Senhor; E assim, ele não terá nenhum proveito com isso. Em segundo lugar, o filho não deve ficar "cansado" dela (vs. 11). Isso fala de ficar desanimado com o que o Senhor permite em nossas vidas, e perder o ânimo e desistir. Se ele assume essa atitude em relação às provações da vida, ele não obterá nenhum proveito da disciplina do Senhor. O autor de Hebreus cita esta passagem no capítulo 12 e depois acrescenta que a única atitude apropriada para aceitar as provações da vida é ser "exercitado por ela" (Heb.12:11). Quando somos exercitados, produzirá "um fruto pacífico de justiça" em nossas vidas.


VÁRIOS TIPOS DE DISCIPLINA

                    Lembremos que nem toda disciplina é castigo. Este é um mal-entendido comum. Existem diferentes tipos de disciplina na escola de Deus, enviada para diferentes propósitos.

o    Disciplina punitiva - enviada para produzir o arrependimento por causa de um curso específico de pecado no qual alguém está andando (1 Coríntios 1:32, Jó 36:9-11);
o    Disciplina Preventiva - enviada para nos manter humildes e assim preservados de cair (2 Coríntios 12:7-10);
o    Disciplina Preparatória - enviada para nos preparar para algum serviço ao qual o Senhor nos chamou (2 Cor. 1:3-6);
o    Disciplina Purgative - enviada para remover traços do nosso caráter que impedem a manifestação de Cristo em nós de forma clara (Salmo 139: 3, Provérbios 25: 4, Jeremias 48:11, Mal. 3: 3-4). O resultado é que há "muito fruto" produzido em nossas vidas (João 15:1-6).

                    Se não estamos andando em um caminho de desobediência evidente, a disciplina que experimentamos em nossas vidas não é punição, mas sim, construção de caráter. No entanto, se estamos andando em um caminho de desobediência e nos rebelarmos sob as disciplinas do Senhor, certamente perderemos o bem que Ele tem para nos ensinar com isso. Ao sermos "exercitados" pelas coisas que o Senhor permite em nossas vidas, temos benefício moral e espiritualmente. "Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento." (Provérbios 3:13). A bem-aventurança (mencionada duas vezes) é um dos grandes resultados de adquirir sabedoria pela da disciplina. O valor de obter sabedoria dessa maneira é enfatizado nos versos 14-20.

6) CONSTRUINDO RELACIONAMENTOS

                    O filho é novamente exortado a não deixar escapar o que ele aprendeu até agora. "Filho meu, não se apartem estas cousas dos teus olhos: guarda a verdadeira sabedoria e o bom siso, porque serão vida para a tua alma, e graça para o teu pescoço. Então andarás com confiança no teu caminho, e não tropeçará o teu pé" (Provérbios 3:21-23).

                    Nos versículos 25-35 é mostrado que a sabedoria é valiosa na construção de relacionamentos na vida. Algumas pessoas não têm dificuldade em fazer amigos, enquanto outras parecem lutar com isso. A razão, muitas vezes, reside no que é ensinado nesta lição. Essencialmente, as amizades são feitas por um comportamento correto para com os outros. Ao jovem, portanto, são dados alguns princípios orientadores que o ajudarão a construir boas amizades em sua vida.

                    A primeira coisa que ele deve ter é uma forte confiança no Senhor. "Não temas o pavor repentino, nem a assolação dos ímpios quando vier. Porque o Senhor será a tua esperança, e guardará os teus pés de serem presos" (Provérbios 3: 25-26). Se conhecemos o Senhor e andamos com confiança Nele, isso será evidente. É uma qualidade admirável - algo que as pessoas apreciam. Isso não deve ser confundido com a autoconfiança, que é a operação do orgulho na carne (Provérbios 3:7). O que falamos é uma serena confiança que vem com o conhecer e o andar com o Senhor. Uma pessoa marcada por estas características estará menos inclinada a andar diante de seus pares, buscando a aprovação deles - e isso é atraente.

                    O Senhor disse a Abrão: "Anda em Minha presença e sê perfeito" (Gênesis 17:1). Pelo contrário, somos muitas vezes inclinados a andar diante do nosso próximo, e isso pode ser um laço (Provérbios 29:25). Uma pessoa que é afetada pela opinião pública e pelos caminhos e estilos do mundo geralmente não possui confiança no Senhor. Por outro lado, uma pessoa que tem uma calma confiança no Senhor exala algo que é atraente e desejável.

                    "Não detenhas dos seus donos o bem, estando na tua mão poder fazê-lo” (Provérbios 3:27). O jovem é exortado a fazer o bem aos outros em todas as oportunidades. Uma pessoa marcada por atos de bondade será bem lembrada e apreciada. Fazer o bem inclui estarmos livres do louvor que outros poderiam ter de nós, independentemente das qualidades e sucessos que nossas ações possam ter. (Não estamos falando aqui de lisonja, que arma uma rede para os pés do seu próximo - Provérbios 29:5).

                    "Não digas ao teu próximo: Vai, e torna, e amanhã to darei: tendo-o tu contigo" (Provérbios 3:28). Aqui, o jovem é incentivado a ser liberal e não generoso com o dinheiro. Esta é outra coisa que ajudará a ganhar o respeito dos outros. A pessoa que está feliz para pagar guloseimas, etc, será bem visto. A generosidade é uma característica admirável.

                    "Não maquines mal contra o teu próximo, pois habita contigo confiadamente" (Provérbios 3:29). O filho é exortado a ter cuidado para não machucar ninguém. Isso pode ser feito pelo que dizemos, bem como pelo que fazemos. Podemos facilmente ofender e machucar os sentimentos das pessoas por não termos cuidado com nossas palavras. Se uma pessoa tem o hábito de menosprezar os outros, que muitas vezes decorre de insegurança pessoal, ele não deve esperar ter muitos amigos. Por outro lado, a pessoa que é marcada por ser cuidadosa a este respeito, vai ganhar a confiança de muitos.

                    "Não contendas com alguém sem razão, se te não tem feito mal" (Provérbios 3:30). O jovem é aconselhado a ter cuidado para não causar conflitos. Em outra passagem fala que uma pessoa que é conhecida por ser contenciosa, tem um coração orgulhoso (Provérbios 28:25). Algumas pessoas são caracterizadas por argumentar, e isso prejudica toda a sua personalidade. Depois de um tempo, eles se tornam conhecidos como, "o Fulano de Tal ama uma discussão ..." Pessoas contenciosas raramente têm muitos amigos. Por outro lado, se aprendermos a ser amáveis ​​entre os nossos companheiros, seremos apreciados. A Aser foi dito para banhar “em azeite o seu pé”, e ele seria "aceitável" para seus irmãos (Deuteronômio 33:24 – J.N.Darby). Visto que o óleo é uma figura do Espírito Santo, isso fala de alguém andando no Espírito. Isso é essencial para se dar bem com as pessoas.

                    "Não tenhas inveja do homem violento, nem escolhas nenhum de seus caminhos, porque o perverso é abominação para o SENHOR, mas com os sinceros está o Seu segredo" (Provérbios 3: 31-32). Aqui ele é advertido para não ser arrogante e opressivo para com os outros. Só produzirá um efeito negativo de repelir as pessoas.

                    Por fim, o filho é encorajado a andar em humildade. "A maldição do SENHOR habita na casa do ímpio, mas a habitação dos justos Ele abençoará. Certamente Ele escarnecerá dos escarnecedores, mas dará graça aos mansos" (Provérbios 3: 33-34). As pessoas gostam de alguém humilde. Nosso Senhor Jesus foi marcado por humildade (Mateus 11:29). Sua mão estará sobre os humildes para abençoar a construção de relacionamento com outros, mas será contra aqueles que não são caracterizados pelos princípios desta lição.

                    A primeira parte do capítulo 4 aparentemente pertence a esse mesmo assunto. O jovem é lembrado que a verdade prática na qual ele está sendo ensinado é o que foi transmitido de gerações passadas (Provérbios 13:22). Ele deve apreciá-la e não a "abandoná-la" (Provérbios 4:1-9).