segunda-feira, 5 de março de 2018

O FILHO SAI DE CASA COM SABEDORIA - (CAPÍTULO 8)


O Filho Sai de Casa Com Sabedoria
(Capítulo 8)

            Nos capítulos 1-7, vimos a Sabedoria apreciada; agora nos capítulos 8-9 vemos a Sabedoria praticada pelo jovem. A expressão “Meu filho” não aparece mais nesta seção. As exortações paternas e maternas cessam, mas descobrimos que a Sabedoria, que adquiriu valor para o jovem, permanece com ele. Neste capítulo ele é visto como tendo saído da casa de seu pai (onde teve a orientação e instrução de seus pais desde os primeiros dias) com a Sabedoria presa ao pescoço, guiando, aconselhando e mantendo-o no caminho. Que privilégio ele teve crescendo em uma casa piedosa com pais que amam e cuidam dele e que o instruíram. Eles procuraram supri-lo com tudo o que ele precisaria para a vida, em coisas que são morais, espirituais e temporais. Da mesma forma, chega um momento em que todo jovem deixa a casa de seus pais para tomar seu caminho na vida (Pv 8:1-21).
            O tempo de provas para este jovem chegou. Ele é visto nas “encruzilhadas” da vida. Uma encruzilhada é o lugar da decisão. O viajante deve decidir qual caminho tomar. Mas a Sabedoria que ele aprendeu está lá com ele ajudando-o a fazer as escolhas certas! Nota: as mesmas coisas que foram prometidas no começo do livro (capítulo 1:2-4) são vistas com o jovem aqui neste capítulo! As dez coisas mencionadas no capítulo um “sabedoria”, “instrução”, “entendimento”, etc. estão todas aqui exceto “equidade” e “discrição”. (Parece que a “equidade”, que tem a ver com os princípios de entendimento e a “discrição”, que está relacionada à aplicação cuidadosa dos princípios, são coisas que só vêm com a experiência, de modo que dificilmente poderiam estar com ele nesse tempo de sua vida.)
            A sabedoria está no gênero feminino nesta parte, talvez implicando que devemos sustentar a verdade em nossas afeições (Pv 7:4, Sl 119:11).

A Sabedoria é o Senhor Personificado

            Na última parte do capítulo 8, o véu é levantado para indicar que a Sabedoria é o Senhor Jesus Cristo pré-encarnado antes de Ele se tornar um Homem. O Novo Testamento traz essa afirmação, referindo-se a Ele como a Sabedoria de Deus (1 Co 1:24, 30). Nesta passagem, várias expressões são usadas para indicar as glórias do Cristo pré-encarnado:

  • “O Senhor Me possuiu no princípio de Seus caminhos, e antes de Suas obras mais antigas” (Pv 8:22). Esta é uma referência ao relacionamento eterno de Cristo com Deus como o Filho (Sl 2:7). A palavra “possuiu” é usada em outros lugares para o relacionamento de Jeová com os filhos de Israel como Pai, mas não no sentido Cristão (Dt 32:6; Is 63:16, 64:8).
  • “Desde a eternidade Fui ungida, desde o princípio” (Pv 8:23) Isto fala de Seu ofício como Messias ( “o Cristo” Jo 1:41) sendo desde a eternidade.
  • “Antes de haver abismos, Fui gerada(Pv 8:24-27). Isso fala da distinção de Cristo na Divindade sendo uma Pessoa distinta desde a eternidade.
  • “Quando firmava as nuvens de cima, quando fortificava as fontes do abismo; Quando punha ao mar o seu termo, para que as águas não trespassassem o Seu mando; quando compunha os fundamentos da Terra; Então Eu estava com Ele e era Seu Aluno (Mestre de Obras)” Isso fala da criação de Cristo (Pv 8:28-30a; Jo 1:3; Cl 1:6; Hb 1:2).
  • “E era cada dia as Suas delícias, folgando perante Ele” (Pv 8:30b). Isso fala d’Ele sendo o objeto eterno do coração de Seu Pai (Jo 1:14, 18, 17:24).

            Os versículos finais do capítulo resumem as afirmações anteriores: se uma pessoa caminha com a Sabedoria (Cristo), ela será “abençoada”, encontrando o verdadeiro significado da “vida”. Mas aquele que peca, “violentará a sua própria alma” (Pv 8:32-36).

Nenhum comentário:

Postar um comentário