segunda-feira, 7 de novembro de 2016

DIVISÃO I - DOZE LIÇÕES DE SABEDORIA NA FAMÍLIA (CAPÍTULOS 1-9)


DIVISÃO I
 (Capítulos 1-9)


Doze Lições de Sabedoria
 Numa Família

Os versículos 1-7 são uma introdução ao livro. O primeiro verso é o título desta seção. Nós vamos encontrar afirmações semelhantes por todo o livro que indicarão as suas várias divisões.

Dez Coisas Adquiridas Pela Aplicação da 
Sabedoria dos Provérbios

            Os versículos 2-4 dão o propósito dos provérbios de Salomão. Dez coisas são mencionadas nestes versos indicando o que vamos encontrar se aplicarmos a sabedoria deste livro.
           1)      Sabedoria conhecimento utilizado corretamente.
           2)      Instrução o conhecimento adquirido pelo castigo e disciplina.
           3)      Entendimento conhecimento adquirido pela consideração.
           4)      Instrução de sabedoria conhecimento adquirido por um caminhar prudente. 
           5)      Justiça conduta e comportamento corretos. 
           6)      Juízo - discernimento.
           7)      Equidade integridade moral imparcial.
           8)      Prudência capacidade de detectar malícia em outros.
           9)      Conhecimento informação útil.
10)    Discrição ponderação.




Duas Coisas Necessárias

            Os versículos 5-7 falam de duas coisas que são necessárias de nossa parte para obter a sabedoria no livro de Provérbios. Em primeiro lugar, deve haver a vontade de aprender (vs. 5-6). Em segundo lugar, deve haver um reverente temor ao Senhor (v. 7).
            Uma pessoa pode ser exposta a mais excelente sabedoria dos mestres mais dotados, mas ela não terá nenhum proveito disso se não houver a vontade de aprender e o temor do Senhor em sua vida. Nossas vidas vão mostrar o quanto tememos o Senhor pela decisão de aplicar ou não estes princípios práticos da Sua Palavra.

Várias Maneiras de Aprender

            Há, talvez, três maneiras de se aprender as lições da vida. Primeiro, podemos aprender com nossos erros. Podemos andar no caminho que achamos ser o melhor e aprender, com a experiência própria, as lições da vida – a maioria das quais provavelmente será dolorosa. Este, sem dúvida, não é um método aconselhado, porque podemos fazer uma confusão generalizada em nossas vidas muito rapidamente e acabaremos tendo que levar os efeitos de nossas falhas pelo resto de nossas vidas. Uma segunda maneira de aprender as lições da vida é aprender com os erros dos outros. Isto é melhor, porque nós não sofreremos os efeitos de suas falhas em nossas próprias vidas. Mas a melhor maneira de aprender as lições da vida é da Palavra de Deus. Esta é a maneira mais feliz. Mas isso requer vontade de receber o que a Palavra diz e também reverência para com aqu’Ele que a escreveu. Alguém colocou desta forma: feliz é o homem que aprende com seus erros; mais feliz ainda é aquele que aprende com os erros de outras pessoas, mas o mais feliz de todos é aquele que aprende com os princípios da Palavra de Deus.

Doze Discursos do Pai ou da Mãe 
Para o Filho

            Doze lições há nesta seção do livro. São discursos do pai ou da mãe para o filho – cada um deles começando com as palavras “Meu filho”. (Há alguns lugares onde a expressão aparece no meio de uma lição. O contexto vai mostrar que não é uma nova lição, mas parte de uma já em discussão. Na tradução de J. N. Darby há um travessão (–) indicando que é uma continuação do assunto, ou seja, capítulos 1:15, 6:3). O cenário é de um lar piedoso onde os pais são vistos orientando e instruindo seu filho nas questões da vida. As lições são recomendações e conselhos dos pais que visam prepará-lo para a vida. Eles estão primeiramente preocupados em ajudar o filho ou a filha a tomar as decisões certas na vida.
            Esta seção (capítulos 1-9) é muito aplicável para pais que querem saber o que eles deveriam estar ensinando a seus filhos na sua preparação para a vida. A essência destes doze discursos é o que todos os pais piedosos devem ensinar os seus filhos. Claro, essas lições são também aplicáveis aos jovens que estão começando na vida. Eles são referidos no livro como o “simples” (Pv 1:4). Este não é um termo depreciativo; ele não está falando de alguém que tem dificuldades mentais, mas de alguém que é inexperiente na vida isto é, ingênuo. Portanto, se um jovem quer ter um bom sucesso na vida, moral e espiritualmente de forma prática, ele precisa aplicar-se a aprender essas lições e provar a bênção de Deus.
            Se alguém não tem o privilégio de ter pais tementes a Deus, que lhe darão saudáveis conselhos práticos e espirituais nas questões de vida, ele pode abraçar estes capítulos, colocando-se no lugar desse jovem, e aproveitar das mesmas lições.