quarta-feira, 9 de novembro de 2016

1) O ACONSELHAMENTO DOS PAIS


1) Respeito ao Aconselhamento dos Pais

            Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes a doutrina de tua mãe. Porque diadema de graça serão para a tua cabeça, e colares para o teu pescoço” (Pv 1:8-9). Respeito ao conselho dos pais é a primeira, e talvez, a lição mais importante. Se a confiança no conhecimento dos pais sobre os assuntos da vida não estiver estabelecida, os filhos provavelmente não vão levar a sério quaisquer outras lições que os pais têm a ensinar. Isto significa que os pais precisam “ganhar o ouvido” de seus filhos na idade mais cedo possível, e, assim, começar a ensinar-lhes estas importantes lições. (Dt 6:6-7, 11:18-21; Sl 78:2-7; Pv 4:1-4; Is 38:19).
            Todos os jovens que crescem em um lar temente a Deus, precisam entender que seus pais têm os melhores interesses em seus corações. Há muitas armadilhas e perigos que os jovens poderiam cair se eles não forem cautelosos. Eles devem ser agradecidos por terem alguém para guiá-los nos caminhos da vida. Os jovens precisam reconhecer que seus pais têm mais experiência de vida do que eles têm, e podem oferecer informações e orientação valiosas nas questões da vida. Bom conselho dos pais é indispensável para o jovem e inexperiente.
            Muitas vezes, os jovens pensam que a compreensão que o pai e da mãe têm do mundo e seus conselhos estão desatualizados. Mas eles estão enganados. Certamente não podemos ser tão ingênuos a ponto de pensar que, porque nossos pais não falam sobre coisas contaminadas e sujas que eles têm visto e ouvido neste mundo mau, eles não sabem sobre ele! (Ef 5:11-12). A sabedoria nos dirigirá a proteger nossos filhos dessas coisas. Os pais que falharam em determinadas áreas de suas vidas, não ajudarão seus filhos ao falarem sobre isso na frente deles – quer se tratem de seus pecados antes de sua conversão, ou depois de terem sido salvos. Eles estarão apenas colocando uma pedra de tropeço diante deles. Se as crianças sabem que seus pais fizeram tais coisas, eles podem se inclinar a pensar que desde que o pai ou a mãe fizeram tal coisa, então eles podem fazê-lo também, porque, afinal de contas, no final deu tudo certo. Quão cuidadosos devemos ser! Se uma pessoa continua a revisitar os seus pecados e a falar sobre eles, levará alguém a imaginar se ele realmente julgou esses pecados. Esses tais estão apenas se gloriando na sua vergonha (Fl 3:19 - ATB).
            O nono versículo descreve poeticamente a beleza moral e dignidade que os jovens terão se seguirem o conselho de seus pais. No entanto, a pessoa que não ouvir os seus pais está a caminho de dificuldades.