segunda-feira, 5 de março de 2018

10) COMO EVITAR RUÍNA FINANCEIRA


10) Como Evitar Ruína Financeira

            Conforme o jovem cresce e se prepara para entrar no mercado de trabalho onde ele vai ganhar seu sustento, lhe são dados alguns princípios úteis sobre como lidar com dinheiro. Nós nunca conhecemos um jovem que não queira ser bem sucedido, mas se é para ser assim, ele deve ter alguns princípios sadios sobre a administração de dinheiro. Neste sexto capítulo, ele é advertido de três coisas que deve especificamente evitar, as quais poderiam levá-lo a uma ruína financeira.

Evitar a Armadilha da Fiança de Dívida

            FILHO meu, se ficaste por fiador do teu companheiro, se deste a tua mão ao estranho, Enredaste-te com as palavras da tua boca: prendeste-te com as palavras da tua boca. Faze pois isto agora, filho meu, e livra-te, pois já caíste nas mãos do teu companheiro; vai, humilha-te, e importuna o teu companheiro. Não dês sono aos teus olhos, nem repouso às tuas pálpebras.  Livra-te como a gazela da mão do caçador, e como a ave da mão do passarinheiro” (Pv 6:1-5).
            Em primeiro lugar, ele é instruído a se manter fora de dívidas seja uma dívida pessoal ou responsável por uma dívida de outra pessoa. (A “fiança” é fazer-se responsável pela dívida de outra pessoa.) “Teu companheiro” nesta situação poderia ser o seu vizinho que quer que você seja fiador em alguma compra que ele quer fazer. O “estranho” seria uma empresa de empréstimos com a qual você teria que se responsabilizar, por sua assinatura. Se o jovem tiver que entrar em tal situação, ele deve libertar-se o mais rápido possível. A lição aqui é muito clara: nunca se responsabilize pessoalmente por qualquer dívida, seja ela própria ou de outra pessoa.
            Muitos têm chegado a uma ruína financeira, entrando na “armadilha do crédito”. Uma das mais perigosas “armadilhas” é o cartão de crédito. Eu não estou dizendo que você não deva ter um, mas precisamos entender que os custos dos juros e penalidades podem aumentar sua dívida muito mais rápido do que você pode imaginar. Cartões de crédito são úteis para conveniência e emergências, mas você tem que ter cuidado para evitar a armadilha do “dinheiro de plástico.” É notável que todas as referências na Escritura com o pedir dinheiro emprestado são negativas! Muitas pessoas ficam em situações financeiras frágeis, apoiando-se no sistema de crédito deste mundo quando eles são jovens, e acabam tendo que trabalhar por muitos anos no futuro para se livrarem desses embaraços.

Evite Gastar Tudo Que Ganha

            Estreitamente relacionado com incorrer dívida é gastar tudo o que se ganha. Isso, é claro, não é aconselhável e demonstra uma grande falta de autocontrole. Para ensinar a lição de guardar o fruto do seu trabalho, o jovem é dirigido à formiga. “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso: olha para os seus caminhos, e sê sábio. A qual, não tendo superior, nem oficial, nem dominador, Prepara no verão o seu pão: na sega ajunta o seu mantimento” (Pv 6:6-8). As duas marcas notáveis da formiga são a habilidade e a poupança daquilo que obteve com seu trabalho. Há momentos em que ganhar dinheiro pode ser mais favorável (ou seja, “o verão” e “a sega”), e haverá momentos em que será mais difícil (inverno). A formiga trabalha duro nos bons tempos e economiza tendo em vista os outros tempos.
            Não há nada de errado com o trabalho árduo, e a pessoa que tem essa característica certamente vai se dar bem na vida (Pv 22:29). Infelizmente, algumas pessoas são preguiçosas e não têm motivação para trabalhar. Parecem sempre ter uma boa desculpa do porquê não podem sair da cama para irem trabalhar (Pv 26:13-16).
            No entanto, sucesso é mais do que trabalhar duro. Uma segunda coisa que podemos aprender com a formiga é que precisamos guardar o produto do nosso trabalho. Isso significa que temos de ser econômicos e poupadores. A formiga não nos ensina a ajuntar riquezas para nós mesmos (Pv 23:4-5), mas que devemos ter algum bom senso no manejo do dinheiro que ganhamos. Haverá um meio-termo feliz; Uma regra geral é ser econômico para com nós mesmos e generoso para com os outros (Ef 4:28; 2 Co 9:7). O tolo, por outro lado, é extravagante. Ele gasta tudo o que ganha (Pv 21:20).
            Economizar dinheiro requer autodisciplina. O tempo para começar a exercer este tipo de autocontrole está na juventude. Muitas pessoas desperdiçam metade de sua vida antes de acordarem e começarem a poupar, mas, nesse momento, muito tempo precioso foi desperdiçado. Se uma pessoa economizar R$ 1,00 por dia a 8% de juros, ao longo de sua vida útil de aproximadamente 70 anos, ele teria R$ 1.190.012,00 mais de um milhão de Reais! A realidade solene aqui é que se você já tem 20 anos, você perdeu 20 anos, e tem apenas 50 anos restantes, se o Senhor não voltar. Então, se poupar R$ 1,00 por dia por 50 anos a 8% de juros terá R$ 237.952,00. Essa é uma grande diferença! Se, no entanto, você economizar R$ 5,00 por dia (R$ 150,00 por mês) com juros de 6% ao longo de 50 anos, você terá R$ 1.949.762,00, quase dois milhões de Reais! E, ao economizar tão pouco quanto R$ 5,00 por dia, na maioria dos casos, uma pessoa ainda teria muito para usar para o Senhor e para outros (Gl 6:10). O nosso objetivo aqui não é incentivar a ganância e a cobiça nas pessoas, mas salientar a importância de se ter cuidado com nosso dinheiro. A mensagem óbvia é: quanto mais cedo começar, melhor.
            O fato solene é que a falta dessas duas coisas (habilidade e poupança) trará, a final, pobreza “Assim te sobreviverá a tua pobreza” (Pv 6:9-11).

Evite o Trapaceiro

            Ser enganado por um trapaceiro “um homem de Belial” é outra coisa que pode trazer uma pessoa à ruína financeira. Temos de ter cuidado em todos os nossos tratos com os homens deste mundo, seja nos negócios ou em nossas relações privadas. Ao jovem é dada uma descrição do caráter de tal pessoa que ele deve evitar (Pv 6:12-15). Assim como ele deve discernir o caráter de uma mulher má, ele deve saber como ler os indicadores do caráter de um homem mau. É claro nas Escrituras que não devemos nos tornar sócios nos negócios (fazer acordos) com um incrédulo ou alguém que não está vivendo para agradar ao Senhor (2 Co 6:14-17). Tais armadilhas podem nos levar a muita tristeza, e até mesmo a ruína financeira.
            Outros sinais reveladores de tal pessoa são dados nos sete pecados fatais que marcam uma pessoa que não está andando com o Senhor (Pv 6:16-19).

Nenhum comentário:

Postar um comentário